Geraldo Loureiro, 2010

Título: Diretrizes para implantação da governança de TI no setor público brasileiro à luz da teoria institucional.

In:

Tipo documento: Dissertação de Mestrado

Autor(es): José Geraldo Loureiro Rodrigues (Geraldo Loureiro)

Ano: 2010

Local: https://forum.ibgp.net.br/wp-content/uploads/2017/04/Diretrizes_Implantacao_Governanca_TI_Setor_Publico-1.pdf 

Palavras-Chave: Governança Pública, Governança de TI, Gestão de TI, Teoria Institucional, Teoria de Agência, Diferença Setor Público e Setor Privado

Resumo:

A área de TI tem se tornado crucial no suporte, sustentabilidade e crescimento dos negócios. Porém, o uso pervasivo de tecnologia tem criado uma dependência crítica das organizações à área de TI, requerendo foco estreito com a Governança de TI (GTI). Apesar das determinações dos órgãos de controle interno e externo da Administração Pública Federal brasileira, raras são as iniciativas estruturadas de implantação da Governança de TI nas organizações do setor público, ficando evidente que as mudanças não acontecem pela simples publicação de uma norma ou por determinação de órgão de controle. Essa conclusão baseia-se no resultado de questionário submetido aos chefes da área de TI dos principais órgãos da Administração Pública Federal, que teve por escopo avaliar o nível de conformidade com as recomendações do Tribunal de Contas da União e identificar o cerne das dificuldades de implantação da Governança de TI no setor público brasileiro. Paralelamente, efetuou-se levantamento bibliográfico dos conceitos de Governança Corporativa, Governança de TI e Gerenciamento da área de TI, comprovando-se não haver diferenças conceituais em sua aplicação nos setores público ou privado. Contudo, observa-se divergência na forma como os agentes responsáveis pela Governança reagem às pressões institucionais a que estão expostos: no setor privado, o foco está na alavancagem ou reversão do resultado financeiro; no setor público, no cumprimento de normas e determinações legais. Assim, num ambiente onde prevalecem valores culturais e mitos construídos em décadas de burocracia, a legitimação das orientações torna-se fator determinante para o sucesso dos projetos de melhoria de processos – base para implantação da Governança de TI. Nesse contexto, a Teoria Institucional, por meio do isomorfismo coercitivo, mimético e normativo, indica a necessidade de legitimação das decisões como salvaguarda perante questionamentos das instâncias de controle, fazendo com que as mudanças e inovações aconteçam lentamente e à medida que os níveis operacionais das áreas de TI as incorporem em sua cultura e valores institucionais. Como resultado do trabalho, apresentou-se conjunto de diretrizes para implantação da Governança de TI no setor público brasileiro, de modo sustentável, que considerou características culturais e ambientais e a busca pela legitimidade nas decisões – base do isomorfismo institucional. Além disso, essas orientações consideraram os diferentes níveis de maturidade das áreas de TI nas organizações públicas brasileiras e a forte influência dos órgãos de controle na determinação de padrões de comportamento dos mandatários das áreas de TI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *