Os Problemas que a Falta de uma Declaração de Apetite a Risco Causa

As organizações da APF, com poucas exceções, ainda não perceberam que uma parte considerável dos problemas que vivenciam se deve à falta dessa Declaração. O problema mais acentuado é a falta de uma referência de risco corporativa única. Sem a Declaração, proliferam as interpretações e as percepções dos gestores, em todos os níveis, sobre que níveis de risco são aceitáveis para a organização. Nesse cenário, aparecem decisões locais conflitantes e, aos poucos, o próprio modelo de gestão de riscos corporativo passa a correr perigo, pois a liberdade que os gestores, nos seus feudos, têm para estabelecer esses limites, acaba extrapolando …

O COBIT 2019 e o Dilema entre Personalizar e Comparar

A característica mais importante do COBIT 2019 é a possibilidade de as organizações poderem personalizar seus frameworks de governança e gestão de TI. O COBIT 2019 Design Guide mostra como realizar essa personalização, que leva em consideração a estratégia corporativa, o perfil de risco da organização, questões-chave de Informação & Tecnologia (I&T) específicas da organização, entre diversos outros aspectos.

Palestra 2016 – 2FGTI – Governança Pública à luz do Referencial Básico de Governança do TCU

Palestrante(es): Daniel Jezini

Palestra 2016 – 2FGTI – Como melhorar a eficiência da terceirização na TIC – Setor Público e Privado

Mediador: Lúcio Melre Palestrante: Tiago da Costa Peixoto Palestrante: Anderson Freire Nobre

Palestra 2018 – 4 FGTI – Gestão de Riscos no Setor Público

Palestrante(es): Dr. João Souza Neto Slides em PDF: Gestão de Riscos no Setor Público Tipo documento: PDF de Slides Ano: 2018 Local: 4o Fórum IBGP de Governança de TI – Brasília-DF Palavras-Chave: Governança Pública, Governança de TI, Governança de TI no Setor Público, Gestão de Riscos, Setor Público, Riscos de TI Resumo:

Lei 13.303/16 – Estatais com Regulamentos Publicados

Algumas Estatais já publicaram o seu Regulamento de Licitações. O IBGP tem acompanhado e publica abaixo as principais referências: Regulamento de Licitações do Banco do Brasil     Regulamento de Licitações da Caixa Econômica Federal    Regulamento de Licitações do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento    Regulamento de Licitações do Correios       Regulamento de Licitações da EMGEA – Empresa Gestora de Ativos   Regulamento de Licitações da Casa da Moeda      Regulamento de Licitações da Infraero    Regulamento de Licitações da Petrobras