Diferenças entre Governança Inteligente e Governo Inteligente

Atualmente muito se discute sobre as diferença entre os conceitos de Governança Inteligente e Governo Inteligente.

Inicialmente importa esclarecer que a Inteligência expressa nesses conceitos “está na análise relacionada ao contexto e na combinação de uma grande quantidade de dados estruturados e não estruturados, que permite que algoritmos de autoaprendizagem façam declarações cada vez mais precisas sobre determinados fatos, sobre grupos ou mesmo sobre indivíduos, permitindo a automação ou a execução de tarefas de maneira muito mais eficiente e amigável aos cidadãos”.

Guenduez, Mettler e Schedler (2019)

 

Então vamos aos conceitos individualmente:

I – Governo Inteligente

O que é Governo Inteligente

O governo inteligente é aquele que aproveita as oportunidades oferecidas pelas TIC, conectando e integrando ambientes físicos, digitais, públicos e privados para interagir e colaborar passiva e ativamente com os cidadãos para melhor entender suas necessidades e para fornecer serviços de maneira criativa, eficaz e eficiente a qualquer momento (até mesmo de forma previsível) e em qualquer lugar.

(Scholl & Scholl 2014)
(Guenduez et al. 2017 )
(Gil-Garcia, Zhang & Puron-Cid 2016; Schedler 2018)

O que torna o Governo Inteligente

No início,  o termo era usado para referir-se a governos que produziam resultados de forma extremamente eficaz, adaptando suas capacidades de gestão.(Kliksberg, 2000). Aumentando o espectro, incluiu tecnologias inteligentes e integradas, ações governamentais em rede, gestão da inovação e modelos de serviços baseados em percepções comportamentais de dados.

(Scholl & Scholl 2014; Zhang, Luna-Reyes & Mellouli 2014; von Lucke 2016;Nam & Pardo 2011; Schedler 2018)

 

Aspectos relevantes que definem a inteligência no governo

Aspectos da inteligência no governo

 

 

Fatores de sucesso para Governos Inteligentes

Fatores de sucesso para Governos Inteligentes

 

Fatores Institucionais

Governança Clara

Estabelecimento de papeis e responsabilidades entre os atores do governo. Tornar a Governança obrigatória nos órgãos públicos.

Compromisso Político

A agenda de transformações requerem fluxo de recursos financeiros, humanos e tecnológicos. O apoio político é fundamental.

Entendimento Jurídico

Necessidade de alinhamento e análise sistemática das necessidades regulatórias. Cuidado com as implicações de proteção de dados.

Consciência Digital

Preparação dos cidadãos para iniciativas de digitalização e incentivo à participação ativa dos programas de governo inteligente.

Infraestrutura e Padrões de TI

Investimento em infraestrutura, sistema interoperáveis e modula-res. Solução para os sistema legados e para lei de aquisições.

Fonte: Guenduez, A. A., et al. (2018)

Fatores Organizacionais

Estrutura e Processos

Centralização temporária de tarefas e competências. Exemplo de tarefas organizacionais que podem ser distribuídas:

  • Direcionamento estratégico de recursos, projetos, com criação de Comitê dos Chefes de Escritórios Digitais (CDOs);
  • Coordenação, compartilhamento de conhecimento e padronização de processos e -soluções, quando possível;
  • Desenvolvimento e implantação de novos serviços e soluções.

Capacidades Organizacionais

Necessidade de unir conhecimento funcional e de negócios, enfatizando um abordagem mais multifuncional, multirracional, ágil e baseada em projetos. Ressalta-se a melhoria nas seguintes habilidades e conhecimento:

  • Gestão de tecnologia
  • Gerenciamento de dados
  • Cibersegurança
  • Análise e modelagem de negócios
  • Gerenciamento de mudanças
  • Experiência do usuário
  • Gerenciamento de inovação

Valores

Criar modelos de serviços centrados no Cidadão. Implementar mudança nos Valores organizacionais que orientam as decisões estratégicas como por exemplo:

  • Primeiro Digital e Apenas Digital
  • Capacitação dos cidadãos
  • Colaboração
  • Empreendedorismo e inovação

Recursos Humanos

As novas tarefas, capacidades e aspectos culturais necessários devem ser refletidos nas mudanças correspondentes às políticas de recursos humanos das administrações públicas.

O conhecimento dos funcionários está rapidamente se desgastando, devendo implementar ações que mitiguem o problema, tais como:

  • Recrutamento em conformidade com as novas capacidades exigidas pelo governo inteligente;
  • Treinamento deve mudar de apenas funcional para as categorias de capacidade de habilidades tecnológicas, metodológicas, de pessoas e de ponte. Tornando constante a requalificação e a aprendizagem ao longo da vida funcional;
  • Preparar e permitir trajetórias de carreira menos lineares, trazendo a multirracionalidade para o centro das carreiras existentes.

Liderança e Estratégia

É essencial uma estratégia amplamente coordenada e orientada por políticas, com forte foco na liderança e estratégia interdepartamental e ênfase no envolvimento da alta administração empurrando e claramente se comprometendo com a estratégia do governo inteligente:

  1. O governo inteligente deve ser um item regular da agenda e a liderança deve estar ativamente envolvida e comprometida com os planos e decisões inteligentes do governo;
  2. É crucial estabelecer uma compreensão compartilhada do conceito geral, visão, estratégia e responsabilidades, iniciando um processo de alinhamento interdepartamental, criando um “chefe transformador digital”, para coordenar as ações relacionadas ao governo inteligente;
  3. É necessário garantir recursos para implementação de ações em todos os níveis e em todos os órgãos, porque o governo inteligente é uma visão interdepartamental de longo prazo;
  4. Incorporar o governo inteligente na estratégia geral dos órgãos, porque ele não é uma meta, mas um meio para um fim, que deve responder de forma mais eficaz e dinâmica às necessidades da população, melhorando resultados e conquistando a participação ativa;
  5. A agenda do governo inteligente deve ser claramente diferenciada de outras sub-estratégias, especialmente da estratégia de TI.

 

Como Governos se tornam Inteligentes

Um governo inteligente requer uma visão abrangente e integrada de tecnologia, dados, processos, produtos, participantes e serviços.

Participação ativa e passiva do cidadão

 

 

II – Governança Inteligente

 

O que é Governança Inteligente

Governança é a interação de processos, informações, regras, estruturas e normas que orientam o comportamento em relação aos objetivos declarados que impactam a coletividade.

(Kooiman 1993; Lessig, 2009; Rhodes 1996)

Esses objetivos geralmente envolvem a alocação de recursos escassos, incluindo bens públicos, a coordenação de diversos participantes e partes interessadas, o estabelecimento de processos claros para a tomada de decisões e a resolução de conflitos.

(Johnston e Hansen, 2011)

Projetos para Governança Inteligente

Lição 1: Organizar-se em torno de problemas específicos em vez de instituições ou geografia

Lição 2: Crowdsource a identificação de problemas acessíveis e soluções promissoras

Lição 3: Fornecer caminhos claros, mas significativos, para contribuir

Lição 4: Incentivar o engajamento contínuo e crescente

Lição 5: Coordenar o esforço descentralizado, mas não diversos juízos de valor

Lição 6: Fornecer acesso aberto a dados e ferramentas úteis em formatos utilizáveis

(Johnston e Hansen, 2011)

 

Exemplos de Áreas Foco da Governança Inteligente (Governo Alemão)

  1. Orçamento, controle e avaliação
  2. Governo eletrônico, modernização administrativa e racionalização de processos
  3. Segurança Patrimonial e Segurança Física
  4. Revisão de Infraestrutura e Conectividade de Alta Velocidade Onipresente
  5. Mobilidade Elétrica
  6. Participação e Colaboração
  7. Provisão e Uso de Dados Abertos/Big Data
  8. Governo aberto, transparência e responsabilidade

(Scholl e Scholl, 2014)

 

Elementos de Governança Inteligente

  1. Normas
  2. Políticas
  3. Práticas
  4. Informação
  5. Tecnologias da Informação e Comunicação
  6. Competências e Capital Humano
  7. Outros recursos

(Scholl e Scholl, 2014)

 

Veja os artigos que tratam do assunto:

Governança Inteligente: Um Roteiro para Pesquisa e Prática

Projeto de Lições para Infraestruturas de Governança Inteligente

Fatores de sucesso do Governo Inteligente (Smart Government)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *